Conectar-se

Esqueci minha senha

Quem está conectado
1 usuário online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 1 Visitante

Nenhum

[ Ver toda a lista ]


O recorde de usuários online foi de 18 em Ter 29 Out - 14:18:41

Capítulo 4 - Teoria das Cores

Ir em baixo

Capítulo 4 - Teoria das Cores

Mensagem por Hashirama em Sab 26 Nov - 22:33:11

Teoria das Cores
Adaptado da obra Tratado da Pintura e da Paisagem – Sombra e Luz de Leonardo da Vinci, Nuno Mendes (CFPF 2003) e Wikipédia.


Cor é como o olho (dos seres vivos animais) interpreta a reemissão da luz vinda de um objeto que foi emitida por uma fonte luminosa por meio de ondas eletromagnéticas; e que corresponde à parte do espectro eletromagnético que é visível (380 a 700 nanômetros - 4,3x10^14Hz a 7,5x10^14 Hz). A Cor não é um fenômeno físico. Um mesmo comprimento de onda pode ser percebido diferentemente por diferentes pessoas (ou outros seres vivos animais), ou seja, cor é um fenômeno subjetivo e individual.
O olho humano é um mecanismo complexo desenvolvido para a percepção de luz e cor. É composto basicamente por uma lente e uma superfície fotossensível dentro de uma câmera, grosseiramente comparando a uma máquina fotográfica. As cores percebidas pelo olho humano dividem-se em três tipos e respondem preferencialmente a comprimentos de ondas diferentes. Temos cones sensíveis aos azuis e violetas, aos verdes e amarelos, e aos vermelhos e laranjas. Aos primeiros se dá o nome de B (blue/azul), aos segundos G (green/verde) e aos últimos R (red/vermelho). RGB lhe soa familiar?
O fenômeno da constância da cor faz com que as superfícies pareçam manter aproximadamente a mesma cor sob diferentes iluminações. O sistema nervoso aparentemente extrai aquilo que é invariante sob as mudanças de iluminação. Embora a radiação luminosa mude, nossa mente mantém os padrões sob a luz branca, agrupa-os e classifica-os como se fossem sempre os mesmos.

Ao falarmos de cores, temos duas linhas de pensamento distintas: a Cor-Luz e a Cor-Pigmento. Falar de cor sem falar de luz é impossível, mesmo se tratando da Cor-Pigmento, pois ela, a luz, é imprescindível para a percepção da cor, seja ela Cor-Luz ou Cor-pigmento. No caso da Cor-Luz ela é a própria cor e no caso da Cor-Pigmento ela, a luz, é que é refletida pelo material, fazendo com que o olho humano perceba esse estímulo como cor.

Os dois extremos da classificação das cores são: o branco, ausência total de cor, ou seja, luz pura; e o preto, ausência total de luz, o que faz com que não se reflita nenhuma cor. Essas duas "cores" portanto não são exatamente cores, mas características da luz, que convencionamos chamar de cor.

As cores se dividem em:
Cores Primárias - são as cores puras, que não se fragmentam.
Cores Secundárias - são combinações de duas cores primárias.
Cores Terciárias - são obtidas pela mistura de uma primária com uma ou mais secundárias.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

A temperatura das cores, designa a capacidade que as cores têm de parecer quentes ou frias. Quando se divide um disco cromático ao meio (figura acima) com uma linha vertical cortando o amarelo e o violeta, percebe-se que os vermelhos e laranjas do lado esquerdo, são cores quentes, vibrantes. Pôr outro lado, os azuis e verdes do lados direito são cores frias, que transmitem sensações de tranquilidade.

Os cinzas e os marrons são consideradas as cores neutras, mas podem ser neutras também os tons de amarelos acinzentados, azuis e verdes acinzentados e os violetas amarronzados. A função das cores neutras é servir de complemento da cor aproximada, para dar-lhe profundidade, visto que as cores neutras em geral tem pouca reflexividade de luz.

As cores no Photoshop

Assim como no mundo as cores faltam saltar para dentro da nossa mente, as imagens estáticas e até mesmo as animações são dotadas de cores, que podem enriquecer ou estragar a arte final. Por hora, vamos aprender apenas o básico sobre as cores.

Intensidade

As cores podem ser intensas, vivas ou neutras, dependendo da mensagem que o artista quer passar. Uma paisagem da natureza, por exemplo, geralmente tem cores vivas, para chamar a atenção das pessoas. Nisso vemos a intensidade da imagem, que é medida pelo grau de saturação e pelas matizes. Uma matiz é característica que define e distingue uma cor. Vermelho, verde ou azul, por exemplo, são matizes. Para se mudar a matiz de uma cor acrescenta-se a ela outra matiz. Saturação é o grau que mede a intensidade das cores. Divide-se em insaturada, saturada e super saturada.
avatar
Hashirama
Administrador Geral Hashirama
Administrador Geral Hashirama

Data de inscrição : 25/11/2011
Mensagens : 170
Sexo : Masculino
Idade : 24
Respeito às Regras : Nenhum desrespeito às regras. Membro com comportamento exemplar!

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 4 - Teoria das Cores

Mensagem por sakunohina em Dom 27 Nov - 8:33:00

que bom q vc abriu um tópico sobre isso........agora sim posso aprender a fazer sign e controlar meus editores de imagens........muito bom isso...adorei....
avatar
sakunohina
Moderadora Sakunohina
Moderadora Sakunohina

Data de inscrição : 25/11/2011
Mensagens : 77
Sexo : Feminino
Respeito às Regras : Nenhum desrespeito às regras. Membro com comportamento exemplar!

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 4 - Teoria das Cores

Mensagem por Hashirama em Dom 27 Nov - 17:54:00

Que bom que gostou, espero que você consiga aprender o básico e seguir em frente no caminho de Designer ^^

Quando começar a criar suas artes, crie sua galeria :D

Abraços.
avatar
Hashirama
Administrador Geral Hashirama
Administrador Geral Hashirama

Data de inscrição : 25/11/2011
Mensagens : 170
Sexo : Masculino
Idade : 24
Respeito às Regras : Nenhum desrespeito às regras. Membro com comportamento exemplar!

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Capítulo 4 - Teoria das Cores

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum